Efeito Sanfona, o vilão da dieta eficaz

Quem já sofreu com o efeito sanfona sabe a dor que é de ver de volta no corpo todo aquele peso que tinha sido perdido às custas de dietas mirabolantes, exercícios e muita, muita fome. Dói mesmo, porque todo o esforço vai embora se a conquista da perda de peso não for mantida. Mas o que acaba dando errado? O que faz com que as pessoas novamente ganhem o peso que perderam?

Uma das coisas que as pessoas sempre esquecem quando estão fazendo dieta, é que o cérebro registra todo o histórico do hábito alimentar que a pessoa tem e como ela lida com o que ingere. Um dos exemplos mais clássicos do efeito sanfona, são as dietas restritivas.

 

As dietas restritivas fazem muito sucesso porque geram resultados de perda de peso acelerada e agradam as pessoas que querem um resultado rápido de emagrecimento. Dietas restritivas de carboidratos, por exemplo, fazem com que o corpo acelere a queima com as proteínas e eliminam a gordura corporal. O cérebro, no entanto, entende que o corpo precisa gerar energia para a manutenção da Vida, e esta energia vem dos carboidratos. Como consequência, as células adiposas se multiplicam, em resposta à falta do carboidrato.

Quando a pessoa ingerir novamente o carboidrato, irá ganhar rapidamente o peso perdido e pior, poderá dobrar as calorias e recuperar o dobro do peso perdido. As dietas restritivas são perigosas e não devem ser seguidas a longo prazo. Estas dietas não garantem o resultado duradouro e sempre levarão ao efeito sanfona.

Um outro fator que atrapalha muito na manutenção do peso perdido, são os hábitos e estilo de Vida que as pessoas têm. Sempre alerto a respeito da relação que as pessoas fazem de Vida social, amigos e comida. Muitos buscam ter prazer através da comida, e isto termina por atrapalhar o esforço conquistado com a dieta e acaba trazendo muita frustração.

  O Baço/Pâncreas e o sabor Doce na dieta

 

Sistema de Recompensas do Cérebro

 

 

Outro fator que contribui para o efeito sanfona e a dificuldade de manter o peso perdido, chama-se `sistema de recompensas do cérebro ´. Acredite, nossa mente produz a necessidade de nos recompensarmos por comportamentos emocionais como tristeza, perda, angústia, euforia, medo, e até por mérito de conquistas pessoais.

O Sistema de Recompensas do cérebro é tão poderoso e relacionado à comida, que faz a mente produzir a necessidade por alimentos doces e gordurosos. Estes alimentos resultam imediatamente a sensação de bem-estar, liberando Dopamina e Serotonina. No meu Programa Alimentar falo sobre este problema e como driblar o Sistema de Recompensas de forma eficaz (www.oscincosabores.com)

Independente da forma como cada um encara a alimentação e o objetivo em perder peso, é importante observar que onde há o efeito sanfona, o indicador sempre será de fracasso da dieta ou da atitude da pessoa e suas escolhas. Neste momento deve-se fazer uma auto-análise de como encarar de forma mais eficaz as escolhas do Plano Alimentar e dos hábitos envolvidos.

As dietas restritivas nunca serão a melhor opção para quem deseja obter um resultado duradouro da perda de peso, e a mudança dos hábitos torna-se primordial para a transformação definitiva. Nunca se apoie em remédios e dietas que prometem uma rápida perda de peso, pois certamente estes métodos irão trazer poucos resultados consistentes.

 

 

 

 

Share:

Deixe uma resposta